Skip to content


Links para o cd, interface de rede, etc.

A detecção de dispositivos atualmente é feita com o UDEV. São através de suas regras que conseguimos guiá-lo melhor para gerenciar nosso sistema.

Vou demonstrar aqui duas coisinhas simples, mas que já dão uma visão muito interessante do que ele é capaz de fazer.

Os diretórios padrões de suas regras são:

  • /etc/udev/rules.d; e
  • /lib/udev/rules.d

No diretório contido em /etc, você encontrará os dois arquivos abaixo:

70-persistent-cd.rules

Este arquivo tem as regras para gerar os links para o CDROM, aqueles presentes no dev: /dev/cdrom, /dev/cdrw, etc.
Um exemplo seria:

ENV{ID_CDROM}=="?*", ENV{ID_PATH}=="pci-0000:00:02.5-ide-0:0", SYMLINK+="cdrom", ENV{GENERATED}="1"
ENV{ID_CDROM}=="?*", ENV{ID_PATH}=="pci-0000:00:02.5-ide-0:0", SYMLINK+="cdrw", ENV{GENERATED}="1"
ENV{ID_CDROM}=="?*", ENV{ID_PATH}=="pci-0000:00:02.5-ide-0:0", SYMLINK+="dvd", ENV{GENERATED}="1"
ENV{ID_CDROM}=="?*", ENV{ID_PATH}=="pci-0000:00:02.5-ide-0:0", SYMLINK+="dvdrw", ENV{GENERATED}="1"
70-persistent-net.rules

Já este arquivo é configurado para sua interface de rede. Alguma vez você já quis modificar o eth0 para outro nome qualquer? Aqui você pode.
Um exemplo seria:

# PCI device 0x10ec:0x8168 (r8169)
SUBSYSTEM=="net", ACTION=="add", DRIVERS=="?*", ATTR{address}=="80:f6:c0:ab:30:41", ATTR{dev_id}=="0x0", ATTR{type}=="1", KERNEL=="eth*", NAME="eth0"

Para mudar o nome, basta trocar o NAME=”eth0″ pelo novo nome, por exemplo: NAME=”jeiks0″

O udev gerencia muito mais coisa além disso. Essas regras descritas são geradas em uma instalação padrão, mas temos várias outras, como por exemplo o de detecção de impressoras e scanners que são geradas pelo fabricante ou por um pacote específico da comunidade livre.

Para ver melhor como o udev funciona, utilize o comando:

udevadm   --monitor   environment

E plugue seu PenDrive.
Serão exibidas diversas mensagens do kernel, para fazer uma regra para isso, como executar algum programa ao conectar seu PenDrive, basta efetuar as comparações, utilizando o sinal “==”, separadas por vírgula e colocar, no final, a execução: RUN=”seu_programa”

abs

Postado em 🐧 GNU/Linux 🐧.


0 Respostas

Fique por dentro da conversa, assine o Feed deste post   em RSS.



Some HTML is OK

ou, responda este post através de um trackback.